Feliz ano velho, ou nem tanto

De volta a São Paulo é chegado o momento de mais um artigo, e o último do ano, mas nada de retrospectiva mesmo porque todos já assistimos a da Globo; da Record; SBT; Gazeta; Bandeirantes, e por ai vai.

E como é dia de ano novo vamos as promessas de fim de ano. Para 2008 prometo não sonegar o imposto que irá substituir a CPMF, ou alguém acha que não vamos ser nós a pagar a conta; prometo guardar o nome do meu candidato a vereador, assim vou ter um nome pra xingar quando nada acontecer; prometo que irei assistir os jogos das olimpíadas, já que tenho que acordar cedo para sair de casa mesmo; prometo ter fé no governo e de que tudo vai melhorar no nosso país, visto como anda Brasilia é só com fé mesmo que vamos conseguir algo. Por fim prometo em 2008 sem menos irônico e menos sarcástico na vida, ou tentar.

Bem 2007 termina em definitivo em um ano que para nós brasileiros não foi ruim, mas poderia ter sido melhor. Crescemos e melhoramos nossa renda, mas ainda somos um país com muitos miseráveis; somos os usuários de internet com mais tempo conectado, e ainda temos uma juventude que se forma anafalbeta; Melhoramos o PIB e o IDH, mas continuamos presos a uma política exclusivista que ignora o povo.

Para 2008 espero que continuemos, se não iniciemos, nossa luta por um Brasil melhor para todos, onde possamos vislubrar melhores, e mais sustentáveis, possíbilidades. A todos, como a pouco me disse um amigo, “saude e paz, o resto a gente corre atrás.

Bom 2008.

Anúncios